terça-feira, 25 de novembro de 2014

O yoga e as crianças

Quando escrevi a história d'O leão que perdeu a juba, eu queria, de facto, escrever uma história que fosse apelativa, divertida e que transmitisse valores. Porquê? Aqui vos deixo a resposta, que apesar de não ser minha, me assenta como uma luva! 

«(..) A criança tem uma linguagem própria e o yoga só pode ser praticado, se ensinado através de elementos  lúdicos, mágicos e divertidos! Por isso o caminho só pode ser trilhado através das  histórias, dos jogos,  da arte e  de tudo que ajude a  mergulhar no imaginário infantil, abrindo espaços para o yoga, para a sintonia e para o bem estar. (...) Porém, o mais importante de tudo, é  usar os valores que Patanjali chama de Yamas e Nyamas. Através das histórias e brincadeiras podemos transmitir esses conceitos de forma não dogmática  e gostosa. Em nosso trabalho utilizamos muito as histórias pois  elas, além de ajudar a transmitir conhecimentos e valores,  trazem  um incontável número de outros benefícios. Um personagem que age com não violência, verdade e auto esforço demonstrará na prática – muito além do racional e da fala  – que essas atitules tornam qualquer ser especial. Essa é uma forma de estimular essas verdades, que embora às vezes escondidas, estão presentes em cada um e de contribuir com um mundo mais equilibrados e feliz!» 

in http://www.yogajournal.com.br/bem-estar/pequenos-yogis/


Sem comentários:

Enviar um comentário